História

Breve História de Santa Maria de Lamas

Integrada no concelho de Santa Maria da Feira, no distrito de Aveiro, a Vila de Santa Maria de Lamas dista cerca de 10 quilómetros da sede concelhia. É limitada a Norte por Mozelos, a Este por Lourosa, a Sul por Rio Meão e por São João de Ver e a Oeste por Paços de Brandão.

O seu orago é, como o próprio topónimo indica, Santa Maria, homenageada anualmente a 8 de Setembro. Esta data marca a celebração do nascimento de Nossa Senhora, que é comemorado desde o início do Cristianismo, no Oriente, e desde o século VII, no Ocidente.padre ze

Santa Maria de Lamas beneficiou do foral da Feira e Terra de Santa Maria, concedido por D. Manuel I, em Lisboa, a 10 de Fevereiro de 1514, sendo que nesse documento consta com a designação “Lama”. Posteriormente, viria ainda a adoptar a designação de Lamas da Feira, que manteve até 19 de Agosto de 1952, data em que por Decreto-Lei, passou a chamar-se Santa Maria de Lamas, em homenagem à sua padroeira.

A 25 de Setembro de 1985, Santa Maria de Lamas foi elevada à categoria de Vila, pelo Decreto-Lei 58/85. Eclesiasticamente, e segundo a Estatística Paroquial de 1862, esta freguesia foi uma abadia da representação do Bispo ou do Pontífice.

Santa Maria de Lamas é uma freguesia bastante desenvolvida em termos industriais, sendo que a indústria corticeira – com especial destaque para a produção de rolhas – é a que ocupa um lugar de maior relevo na economia local. Esta actividade secular remonta aos tempos da implantação das primeiras caves do Vinho do Porto na região a Sul do Douro, e actualmente Santa Maria de Lamas assume-se como um dos principais centros produtores de rolhas e sede da Associação dos Industriais Exportadores de Cortiça, bem como do Centro Tecnológico da Cortiça.

De destacar como lugares de interesse turístico na vila de Santa Maria de Lamas são, a Quinta dos Viscondes de Moure, o Parque de Santa Maria de Lamas e o Museu que nele se insere, fundado pelo comendador Henrique Amorim. Este Museu reúne um notável conjunto de peças de arte sacra, numismática e cerâmica, merecendo um especial destaque a “Sala da Cortiça”, que contém um conjunto de objectos feitos com esse material.